Technet Magazine – Novembro 2008

System Center: Monitorando o Windows Server 2008 com o OpsMgr 2007

Ao implantar o Windows Server 2008 em seu ambiente, você terá de encontrar uma forma de gerenciar e monitorar sua integridade, seu desempenho e sua disponibilidade. Felizmente, você pode usar as ferramentas existentes do System Center com as quais já está familiarizado. Veja como é possível usar o OpsMgr 2007 para gerenciar os ativos do Windows Server 2008. Pete Zerger

 

System Center: Usando o Gerenciador de Configurações com o Windows Server 2008

O lançamento do System Center Configuration Manager SP1 adicionou suporte total ao gerenciamento dos sistemas Windows Server 2008, incluindo novos recursos como núcleo de servidor. Obtenha uma visão geral da implantação do agente ConfigMgr usando o ConfigMgr para gerenciar sistemas Windows Server 2008 em sua organização. Cameron Fuller

 

System Center: Direcionamento granular no Operations Manager 2007

Sempre que criar um objeto de monitoramento, você terá de decidir também qual será seu destino. Escolher o destino correto é essencial, mas nem sempre é fácil fazer a escolha certa. Steve Rachui explora várias opções para o direcionamento correto no OpsMgr e fornece orientação quanto à escolha do método apropriado a cada cenário. Steve Rachui

 

Windows Server 2008: Virtualização de apresentação com os Serviços de Terminal aprimorados

A virtualização não se limita aos computadores virtuais e à virtualização de sistemas operacionais. Os Serviços de Terminal, há anos, abstraem a camada de apresentação de aplicativos e desktops de execução remota. Conheça os principais aprimoramentos dos Serviços de Terminal no Windows Server 2008 e obtenha algumas dicas sobre o uso desses novos recursos. Joshua Schnoll

 

Windows Server 2008: Controlando alterações no seu banco de dados empresarial

O SQL Server 2008 apresenta dois novos recursos que permitem controlar alterações com mais facilidade e eficiência. Paul Randal examina os novos recursos de controle de alterações e de captura de dados de alteração e discute sobre suas implicações para os administradores de banco de dados. Paul S. Randal
Anúncios

Microsoft prepara pacote mensal de correções mais enxuto na próxima terça

Framingham – Das duas atualizações programadas para a próxima terça-feira (11/11), uma é responsável por corrigir XML Core Services.

A Microsoft confirmou que vai lançar apenas duas atualizações de segurança para a próxima terça (11/11). O número é bem menos significativo em relação ao pacote de 11 correções lançadas em outubro para corrigir problemas no Windows e Office.

Do atual pacote, uma correção é apontada como “crítica” e a outra é apontada como “importante”. As duas brechas permitem que crackers acessem os computadores de usuários através dos bugs e instalem malware na máquina.

A correção ao Microsoft XML Core Services (nas versões 3.0 até 6.0) é séria e precisa ser feita em todas as edições do Windows que ainda são suportadas pela Microsoft (Windows 2000, XP, Vista, Server 2003 e Server 2008). Assim como é preciso atualizar as versões do Office 2003, Office 2007, SharePoint Server 2007 e Groove Server 2007.

O XML Core Services já foi corrigido duas vezes no passado, a mais recente em agosto de 2007. Este serviço é o componente que cria a interoperabilidade entre as diversas linguagens de scripting, incluindo JScript, Visual Studio e aplicações XML.

A segunda atualização, classificada importante, vai corrigir todas as versões do Windows para corrigir brechas que não foram especificadas.

Fonte: Idgnow

Windows Azure chega na segunda metade de 2009 com preços variáveis

Framingham – Novo sistema operacional para cloud computing começa a chegar na segunda metade de 2009. Microsoft revela métricas de cobrança.

O novo sistema operacional da Microsoft para cloud computing, Windows Azure, começa a chegar ao mercado na segunda metade de 2009, e os preços serão definidos por um conjunto de métricas informou a Microsoft na quinta-feira (30/10).

No site do Azure, a empresa explica que o novo sistema será oferecido diretamente pelo Microsoft Online Customer Portal e por meio de fornecedores de software independentes se o usuário adquirir uma aplicação ISV que use a plataforma Azure Services.

A Microsoft reitera que o Azure será oferecido gratuitamente durante o período chamado Community Technology Preview, mas uma vez lançado comercialmente, o sistema torna-se pago e será cobrado de acordo com o volume de recursos consumido pelo cliente. A Microsoft pretende dividir o consumo baseado em plataformas de serviços e em usos específicos.

O tempo de consumo de CPU será medido em horas, a banda ou o acesso ao data center da Microsoft será verificado por Gigabytes, assim como é feito em uso de armazenamento de dados; e transações serão medidas por solicitações.

As métricas para uso da plataforma online serão divididas em seções. O Windows Azure será cobrado com base em serviços de computação e armazenamento; serviços .Net em controle de acesso e workflow; SQL Services em bancos de dados serão cobrados por aplicações de cada linha de negócios; e o SharePoint, que não está incluso na versão inicial do Azure, será cobrado com base em componentes usados pelos desenvolvedores e embutivos em suas aplicações.

Além disso, a Dell anunciou que lançará um hardware exclusivo – uma versão de seu equipamento para data center com rack – para rodar o Azure.

Fonte: Idgnow